Consulta (Acesso Restrito)

Código:   Senha:

 

Setor produtivo e Banco do Brasil assinam termo para acelerar liberação de recursos

Aconteceu na manhã do dia, 1º de dezembro, reunião entre o Banco do Brasil e o setor produtivo de Mato Grosso do Sul, representado pela Fiems, Fecomércio-MS, Famasul e Faems. O objetivo foi tratar sobre os recursos ainda disponíveis do FCO (Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste). apresentados o balanço do FCO em 2016 no Estado, as linhas de capital de giro disponíveis pelo Banco do Brasil e as alterações dos procedimentos para a contratação do Fundo no próximo ano.

 

 

 

Na ocasião, foi assinado um termo de cooperação com o Banco do Brasil para acelerar a liberação de R$ 574 milhões em recursos do FCO (Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste) disponíveis para projetos do Estado em 2016. O FCO é um recurso garantido constitucionalmente e neste ano o valor destinado a Mato Grosso do Sul foi de R$ 1,36 bilhão.

 

 

 

Para o presidente da Faems, Alfredo Zamlutti, é necessário reduzir a burocracia para aprovar os projetos do FCO, mas é preciso também que os interessados sejam mais zelosos ao elaborar suas propostas.  “Essa notícia do superintendente do Banco do Brasil é muito boa, ficou claro que há dinheiro para Mato Grosso do Sul, mas não adianta trazer dinheiro se não tiver demanda. É preciso reduzir a burocracia, mas precisamos também de uma consultoria adequada, que faça projetos precisos, efetivos e bem elaborados, ou não serão aprovados”, afirmou.

 

 

 

O superintendente do Banco do Brasil no Estado, Glaucio Zanettin Fernandes, afirmou durante a reunião que a meta do Banco do Brasil é liberar, ainda neste ano, entre R$ 200 e R$ 250 milhões dos 574 milhões disponíveis do FCO para o Estado, mas defende ser possível aplicar o valor total que ainda resta. “Boa parte desses valores nós já temos projetos internalizados e aprovados. Então vamos atuar com muita gestão em cada um dos nossos processos para que de forma bastante célere sejam aplicados o máximo desses recursos ainda neste ano. Só nesses últimos dias a gente já conseguiu aumentar o ritmo em pelo menos 20, 30% em relação ao que era ano passado através de um esforço coletivo, para continuarmos fomentando o desenvolvimento de Mato Grosso do Sul”, argumentou.

 

 

 

Além do presidente da Faems e do superintendente do Banco do Brasil, assinaram o termo também os presidentes da Fiems, Sérgio Longen, da Famasul, Mauricio Saito, e da Fecomércio-MS, Edison Araújo. O evento aconteceu com a presença de empresários dos setores industrial, comercial e agropecuário.

 

 



<< Voltar

PARCEIROS


 

 

ANÚNCIOS


(67) 3441-1955
Av. Antonio Joaquim de Moura Andrade, 1840 - Centro | Nova Andradina / MS

Imagem