Consulta (Acesso Restrito)

Código:   Senha:

 

IPC-10 de abril tem taxas menores para 6 dos 8 grupos de despesas analisados

DATA: 14/04/2016

Seis das oito classes de despesa que integram o Índice de Preços ao Consumidor - 10 (IPC-10) registraram taxas de variação menores na passagem de março para abril. O IPC-10 teve alta de 0,43% este mês ante um aumento de 0,61% em março, no âmbito do Índice Geral de Preços - 10 (IGP-10), divulgado nesta quinta-feira, 14, pela Fundação Getulio Vargas (FGV).

 

O destaque foi o grupo Habitação, que saiu de elevação de 0,12% em março para uma deflação de 0,20% em abril, graças à tarifa de eletricidade residencial. A conta de luz, que já tinha ficado 2,76% mais barata no indicador de março, voltou a recuar com ainda mais intensidade em abril (-3,53%), mês em que a cor aplicada no sistema de bandeiras tarifárias foi alterada da amarela para a verde - sem cobrança adicional.

 

As demais desacelerações foram verificadas pelos grupos Transportes (de 0,72% em março para 0,26% em abril), Comunicação (de 1,13% para 0,38%), Despesas Diversas (de 1,73% para 0,53%), Vestuário (de 0,31% para 0,15%) e Educação, Leitura e Recreação (de 0,16% para 0,08%). Os itens com influência relevante foram gasolina (de 0,62% para -0,36%), tarifa de telefone móvel (de 2,11% para 1,15%), cigarros (de 3,67% para 0,94%), calçados (de 0,63% para -0,48%) e excursão e tour (de 0,22% para -4,17%).

 

Na direção oposta, houve pressão maior em abril dos grupos Alimentação (de 0,96% para 1,09%) e Saúde e Cuidados Pessoais (de 0,70% para 0,94%). As elevações de preços com impacto mais significativo foram das hortaliças e legumes (de -3,88% para 1,34%) e medicamentos em geral (de 0,21% para 1,34%).

 

Construção civil

 

As despesas com mão de obra ficaram mais caras na construção civil, provocando uma ligeira aceleração no Índice Nacional de Custo da Construção - 10 (INCC-10) de abril, que passou de uma taxa de 0,60% em março para 0,67% este mês, no âmbito do Índice Geral de Preços - 10 (IGP-10), divulgado pela FGV.

 

O índice que representa o custo da Mão de Obra registrou elevação de 1,02% em abril, após aumento de 0,72% em março. Já o índice relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços subiu 0,29% em abril, depois da taxa de 0,45% registrada no mês anterior.

 

As principais altas no INCC-10 de abril foram de ajudante especializado (1,06%), servente (0,99%), carpinteiro de forma, esquadria e telhado (1,21%), pedreiro (1,11%) e eletricista (1,28%).

 

Na direção oposta, as quedas de preços mais relevantes foram de cimento portland comum (-0,78%), vergalhões e arames de aço ao carbono (-0,53%), rodapé de madeira (-0,59%), aluguel de máquinas e equipamentos (-0,05%) e placas de cerâmicas para revestimento (-0,12%).

 

Fonte: Agência Estado

 



<< Voltar

PARCEIROS


 

 

ANÚNCIOS


(67) 3441-1955
Av. Antonio Joaquim de Moura Andrade, 1840 - Centro | Nova Andradina / MS

Imagem